Visão geral:

O exemplo católico pelo desinvestimento

Visão geral O exemplo católico pelo desinvestimento Passo 1 Escolha seu alvo & monte uma equipe Passo 2 Comece uma petição & planeje sua campanha Passo 3 Entre em ação & Crie energia Passo 4Mobilize os responsáveis pelas decisões
Passo 5Mantenha o diálogo acontecendo Passo 6Vença e faça com que a mensagem se espalhe ArgumentosAjude a construir sua posição Contatos Onde buscar ajuda

Alinhando os investimentos aos nossos valores

O chamado para cuidar de todas as pessoas que estão às margens da sociedade é fundamental para vivermos nossa missão enquanto seguidores de Cristo.

O desinvestimento, e o processo e o engajamento público que ele envolve, são formas de redefinir o código moral da sociedade. Nesta perspectiva, o desinvestimento não se resume às instituições religiosas manterem sua própria integridade ou responderem a uma resistência obstinada. Trata-se de deslegitimar e desnaturalizar a indústria alvo, criando um divisor de águas moral na sociedade e encorajando ou pressionando os líderes políticos para que abordem as questões que eles antes evitavam.

A chave para compreender o desinvestimento é um fato simples: o carvão, o petróleo e o gás – considerando somente os empreendimentos que já estão em produção atualmente –
são tão impactantes que as emissões que eles produzem já ultrapassarão pesadamente o limite máximo de 2ºC para o aquecimento global que foi acordada por todos os governos nas negociações climáticas, o que dirá da meta de 1,5ºC colocada pelo Acordo Climático de Paris.

Uma pesquisa publicada em 2016 pela Oil Change International descobriu exatamente o que será necessário para atingir as metas estabelecidas no Acordo Climático de Paris: e isso significa zero novos projetos envolvendo combustíveis fósseis e um declínio controlado da indústria dos combustíveis fósseis.

Ainda que eles conheçam muito bem os danos que estão causando, a indústria dos combustíveis fósseis ainda está procurando por mais carvão, mais petróleo e mais gás para queimar. Cada operação de perfuração exploratória, cada nova permissão para um novo campo de extração de gás ou nova mina são atos irresponsáveis que colocam a todos nós em risco.

O que os números deixam claro é que a o modelo de negócios da indústria dos combustíveis fósseis está em um conflito fundamental com a vida na Terra. A única resposta moral possível é retirar nosso consentimento, desinvestindo destas empresas que estão arriscando o futuro do nosso planeta.

the earth and the poor are crying out for divestment - climate march Vatican

Aprendizados da Laudato Si’

Veja as principais citações do Papa Francisco sobre o meio ambiente:

 

A “Laudato Si’: sobre o cuidado da casa comum” é claramente um marco significativo. A Laudato Si’ explora as várias dimensões da destruição ambiental em nosso mundo, mas, assim como em todo o ensino social católico, a principal preocupação é com a justiça.

O aquecimento global é um tema abordado com frequência pela encíclica. “Tornou-se urgente e imperioso o desenvolvimento de políticas capazes de fazer com que, nos próximos anos, a emissão de dióxido de carbono e outros gases altamente poluentes se reduza drasticamente, por exemplo, substituindo os combustíveis fósseis e desenvolvendo fontes de energia renovável.” (Parágrafo 26)

“Sabemos que a tecnologia baseada nos combustíveis fósseis – altamente poluentes, sobretudo o carvão mas também o petróleo e, em menor medida, o gás – deve ser, progressivamente e sem demora, substituída. (…) A política e a indústria reagem com lentidão, longe de estar à altura dos desafios mundiais.” (Parágrafo 165)

Não só as indústrias têm “reagido com lentidão”: o Papa refere-se também à distorção internacional das informações por parte da indústria dos combustíveis fósseis com a intenção de influenciar nas negociações climáticas. A submissão da política à tecnologia e à finança demonstra-se na falência das cúpulas mundiais sobre o meio ambiente. Há demasiados interesses particulares e, com muita facilidade, o interesse econômico chega a prevalecer sobre o bem comum e manipular a informação para não ver afetados os seus projetos.” (Parágrafo 54)

O Papa Francisco elogia grupos de cidadãos e organizações não-governamentais que militam pelo cuidado com o meio ambiente. Ele defende os boicotes de consumidores que “conseguem que se deixe de adquirir determinados produtos e assim se tornam eficazes na mudança do comportamento das empresas, forçando-as a reconsiderar o impacto ambiental e os modelos de produção. É um facto que, quando os hábitos da sociedade afetam os ganhos das empresas, estas vêem-se pressionadas a mudar a produção. (…) ‘Comprar é sempre um ato moral, para além de econômico.’” (Parágrafo 206)

Na questão dos investimentos alternativos e éticos, “[o]s esforços para um uso sustentável dos recursos naturais não são gasto inútil, mas um investimento que poderá proporcionar outros benefícios econômicos a médio prazo.” (Parágrafo 191)

Nessa encíclica papal, o Papa Francisco não aborda explicitamente as questões de investimento ético, mas certas conclusões podem ser retiradas dos numerosos ensinamentos do texto. Eles formam uma base sólida para propor que tanto o desinvestimento dos combustíveis fósseis e o investimento em baixas emissões de carbono são as alternativas mais éticas para aqueles que têm dinheiro para investir.

Saiba mais sobre as organizações católicas que já desinvestiram

 

Em junho de 2015, a universidade jesuíta Georgetown tornou-se a segunda universidade católica após a Dayton a tomar a decisão de desinvestir, retirando seus investimentos das empresas cujo interesse primário é a mineração de carvão.[1]

 

A lista completa de organizações católicas que tomaram algum tipo de decisão de desinvestimento dos combustíveis fósseis até 18 de junho de 2016 é:

Quatro ordens religiosas na Austrália:

  • Passionistas na Austrália, Nova Zelândia, Papua-Nova Guiné e Vietnã
  • Irmãs Maristas (Austrália)
  • Congregação da Apresentação de Queensland (Austrália)
  • Irmãs da Apresentação de Wagga Wagga (Austrália)

 

Há campanhas de desinvestimento organizadas por alunos de diversos campi, inclusive o Boston College e a Fordham University. Acadêmicos de várias instituições católicas demonstraram um interesse ativo.

 

Os Arabella Advisors criaram um belo recurso chamado Assets in Action (em português: Ativos em Ação) com estudos de caso detalhados de organizações católicas que escolheram retirar seus investimentos dos combustíveis fósseis. Elas são as Irmãs Franciscanas de Maria e a Universidade de Dayton.

FacebookTwitter