O coronavírus (Covid-19) domina as manchetes dos jornais no mundo inteiro à medida que se espalha. Todos nós devemos seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Em alguns lugares, questiona-se se as mobilizações climáticas programadas para abril devem ser realizadas.

Tenha cuidado

A OMS acaba de lançar recomendações que abordam especificamente protestos com aglomerações e as mobilizações climáticas lideradas por jovens. O Covid-19 é mortal. Portanto, leia e siga essas recomendações – outras provavelmente serão divulgadas.

Confira as recomendações de saúde pública da sua região para ver se há conselhos específicos e se foram instauradas restrições ou quarentenas. Manter-se atualizado sobre a situações vai ajudar você a tomar decisões que protegem as pessoas da sua comunidade e de outros lugares. Isso é primordial.

Mobilize-se

Neste momento, enquanto lutamos para que a crise climática seja vista com a mesma urgência relacionada ao vírus, não podemos encorajar pessoas a participar de encontros onde haja aglomerações. É por isso que compilamos esta lista inicial de ideias de como podemos nos manter mobilizados de forma criativa nesses tempos de incerteza. Mais recomendações, treinamentos e ferramentas estarão em breve no site globalclimatestrike.net.

Capacite-se

Já que muita gente ficará mais tempo em casa nos próximos meses, por que não usar esse tempo estranho para estudar questões relacionadas ao clima? Você também pode ensinar outras pessoas sobre ciência, justiça e ação climática, táticas de campanha, relacionamento com a imprensa e movimentos sociais. Há diversos cursos online disponíveis para você se capacitar.

Todos nós precisamos aperfeiçoar nossas habilidades de contar histórias emocionantes e envolventes sobre a luta por justiça climática. E a 350.org está trabalhando com jovens e outras pessoas para reunir essas histórias. Também buscamos criar espaços para que os ativistas possam colaborar online com mais facilidade durante o período de isolamento, ajudando o movimento a manter sua força, de forma segura, ao longo deste ano crucial.

Que tal oferecer webinars, transmissões ao vivo e se conectar com outros movimentos que compartilham visões de mundo e objetivos de campanha parecidos com os seus? Use esse tempo para planejar o que fazer quando acabarem as restrições de isolamento. Para ajudar você a estudar sobre como se mobilizar, recomendamos estes cursos online.

Ambientes fechados

Em áreas com restrições e/ou quarentenas, existem táticas já testadas que não envolvem aglomerações públicas:

      • Social media: Fazer com que as pessoas se fotografem e compartilhem posts em suas redes sociais com um elemento visual comum, uma hashtag (#ClimateStrike #FridaysForFuture) ou uma tag de localização. Isso inclui convidar pessoas para baixar e imprimir cartazes ou confeccionar suas próprias mensagens. Encorajar pessoas a fazer isso por conta própria, escrevendo/desenhando/colorindo ou escrevendo uma frase sobre por que se importam. Os organizadores podem compilar e mostrar todos os posts, além de compartilhá-los de forma criativa se você usar hashtags como #ClimateStrikeOnline ou #DigitalStrike.
      • Artes gráficas: usando o meio que você preferir, é possível criar peças gráficas, compartilhá-las em suas redes sociais ou fixá-las na porta do seu apartamento ou nas janelas.
      • Cartazes em janelas e portas: da mesma forma, coloque pôsteres e cartazes em lugares visíveis para quem está do lado de fora, mostrando aos vizinhos e à comunidade que a mobilização pelo clima continua!
      • Panelaço: Bata panelas o mais alto possível desde sua janela, sacada ou mesmo na rua em um determinado horário combinado com a sua comunidade. Essa tática tem sido usada em todo o mundo por conta de seu efeito ensurdecedor – em Porto Rico, Líbano, Irlanda, Islândia, Quebec e naAmérica Latina.
      • Protestos virtuais: Peça a quem já participou de protestos em épocas normais que escreva num cartaz e tire fotos com a mensagem ao lado de amigos e familiares. Os organizadores podem imprimir essas fotos e exibi-las em público. As imagens podem, por exemplo, ser estendidas em frente a um banco ou uma prefeitura, acompanhadas da explicação de que, devido a recomendações de saúde, as pessoas estão protestando desde seus lares. Confira esse protesto virtual realizado nas Filipinas usando fotos em 2018, no qual os organizadores projetaram imagens de participantes que não puderam participar da manifestação por motivos de segurança. O site Globalclimatestrike.net vai oferecer treinamentos dessas ferramentas criativas – entre outras iniciativas – a partir de abril.
      • Ligue, mande e-mails: Ligações, mensagens, faxes e e-mails em massa para o seu banco local ou outro alvo de campanha podem ser extremamente efetivos. Usando essa tática, jovens no Japão pressionaram bancos em relação ao financiamento do carvão na campanha Moshi Moshi.
      • Redes sociais: Ficar preso em casa é difícil, mas pode dar a você mais tempo para ser criativo no computador. Publique comentários sobre a crise climática nas suas redes sociais. Organize uma derrubada de reputação coordenada de marcas e produtos avaliados publicamente, de modo a pressionar o seu alvo, ou organize comentários em massa em seus perfis de Twitter e Instagram. Forme equipes com outras pessoas que se mobilizam em prol do clima e que também estão em suas casas – e apoie suas campanhas.

Do lado de fora

Se as recomendações do seu país restringem aglomerações, mas você segue preocupado em proteger a saúde pública, aqui vão algumas formas criativas de realizar ações menores de forma segura e com máximo impacto.

    • Primeiro, mantenha suas ações sendo realizadas na rua e pense em como os participantes podem lavar as mãos regularmente.
    • Manter um distanciamento de um metro entre as pessoas também ajuda. Essa atitude também pode resultar num impacto visual poderoso – mesmo que sejam poucos participantes. O recente canto feminista que surgiu no Chile e se espalhou pelo mundo é um exemplo potente do quão efetiva essa tática pode ser quando coordenada de forma cuidadosa.

 

    • Ofereça opções para pessoas que querem ficar em casa, de modo que elas possam se mobilizar e apoiar você. Enquanto um grupo pequeno leva sua mensagem a um alvo de campanha – como um banco ou uma instituição política local –, outras pessoas podem amplificar essa mensagem online, em casa, fazendo com que ela chegue à imprensa local por meio das redes sociais.
    • Reúna-se em grupos menores para realizar ações em locais que tenham algum significado para a sua campanha – com poucas pessoas em cada espaço. Isso pode se dar em muitas escalas: dentro da mesma cidade, do mesmo estado, da mesma região ou em diferentes países! Confira este exemplo recente de jovens que se mobilizaram no Japão contra o financiamento do carvão.

    • Transforme seu engajamento em uma campanha online – se você geralmente protesta em lugares abertos, distribuindo folhetos nas ruas, considere a possibilidade de disponibilizar informações online, criando ou se cadastrando em ações online e entrando em contato com pessoas que podem se interessar pela sua história.
    • O Covid-19 parece afetar os idosos de forma mais intensa. Se o seu grupo é composto por jovens, pense em maneiras pelas quais você pode apoiar as pessoas mais velhas na sua comunidade – as quais podem estar se sentindo isoladas e querendo companhia. Por exemplo, jovens na Itália começaram a oferecer doces em suas vizinhanças.

      “Você tem mais de 65 anos e deve ficar em casa? Não pode sair porque tem problemas de saúde? Vamos levar as compras até você” Roma, Itália

O que vem pela frente?

Durante o próximo mês, a 350.org vai monitorar muito de perto a situação, trazendo mais atualizações e orientações. Estamos trabalhando em conjunto com jovens e grupos em todo o mundo que sugerem formas criativas para seguirmos mobilizados em prol da justiça climática e difundindo histórias que para que o mundo inteiro as ouça. Por conta de tudo isso, nas próximas semanas fique de olho na página globalclimatestrike.net .

Se você tem ideias para outras ações online criativas ou gostaria de voluntariar seu tempo para desenvolver essas iniciativas conosco, preencha este breve formulário e cadastre-se.

Fique bem, cuide de quem está à sua volta e siga lavando as mãos.

FacebookTwitter