Aquífero Guarani

O Aquífero Guarani é uma das principais reservas de água doce do planeta, com presença na Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil, e corre o risco de ser contaminado pela indústria dos combustíveis fósseis.

O Aquífero Guarani é uma das principais reservas de água doce do planeta, com presença na Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil, e corre o risco de ser contaminado pela indústria do petróleo e do fracking.

Especificamente, como resultado do avanço de um plano de perfuração em busca de hidrocarbonetos da petroleira Petrel Energy, em Paysandú, Tacuarembó e Salto (Uruguai), existe uma ameaça para contaminar irreversivelmente os solos e os depósitos subterrâneos de água que estão lá. É por isso que chamamos países vizinhos, comunidades, grupos ambientais, assembleias e organizações para que possamos, juntos, defender o Aquífero.

A 350.org América Latina e a Coalisão Latino-Americana contra a Fracking (COESUS) têm feito esforços para realizar as campanhas Zero Fósseis contra o fracking e em defesa do Aquífero Guarani, como forma de promover a defesa da água, da vida e do meio ambiente e contribuir para uma transição para fonte de energia 100% renováveis, livres e justas para todos.

E a América Latina segue em defesa do Aquífero Guarani! Diversas organizações ambientais do Uruguai, Argentina, Paraguai e Brasil se encontraram na cidade de Palomas do Departamento de Salto, no Uruguai, para realizar a II Marcha Internacional em defesa do Aquífero Guarani.

O Aquífero está em risco de contaminação como resultado da intenção de explorar hidrocarbonetos não convencionais com a técnica de fraturamento hidráulico – fracking -, que usa grande quantidade de produtos químicos altamente poluentes.

Convocada pela Associação Civil Ambiental de Salto e pelo Coordenador “Todas las Manos”, a marcha ganhou o slogan “Sem água não há vida. Diga não às perfurações na formação do Aquífero Guarani”. A marcha passou pela rota de acesso para Palomas e Saucedo – para o lugar exato onde a empresa Schuepbach Energy planeja realizar trabalhos de prospecção em busca de hidrocarbonetos – e chegou à cidade de Palomas, onde o Sr. Alexis Silva leu a proclamação de defesa ao Aquífero.

Com as bandeiras das quatro nações a mobilização também teve uma grande presença de vizinhos de diferentes locais e com cobertura de vários canais de rádio e televisão, que acompanharam a caravana e viram de perto o problema das técnicas extrativistas no Uruguai.

II Marcha Internacional em defesa do Aquífero Guarani

Leia também:

Sociedade latino-americana em defesa do Aquífero Guarani

FacebookTwitter